A história de

José Agripino

José Agripino Maia é Senador da República pelo Rio Grande do Norte e Presidente Nacional do Democratas. Casado com Anita Catalã, ele é pai de Alexandre e Felipe.

José Agripino Maia nasceu no dia 23 de maio de 1945 na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte. É filho de Tarcísio de Vasconcelos Maia (ex-governador do RN) e Joseresa Tavares Maia. É irmão de Ana Silvia (empresária) e de Otto Maia (diplomata).

Casado com a historiadora Anita Catalão desde o dia 27 de dezembro de 1969. É pai do economista no mercado internacional Alexandre Maia e do advogado e deputado federal Felipe Maia.

José Agripino cursou o primário (ensino fundamental) no Externato Dom Bosco (Mossoró), o Ginásio (ensino médio) no Colégio Santo Antônio Marista (Natal) e no Colégio Andrews (RJ). Graduado pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Estado da Guanabara (RJ), concluiu os estudos universitários em 1967, aos 22 anos. Pós-Graduado em Estabilização de Taludes pela Universidade do Estado da Guanabara, trabalhou na iniciativa privada como engenheiro e executivo.

O jovem

Prefeito

Em 1979, aos 34 anos, recebeu o primeiro desafio da carreira política, ser prefeito nomeado de Natal (RN). O início da carreira do jovem engenheiro foi marcado por uma gestão inovadora. José Agripino apostou no relacionamento com a população para estabelecer uma administração dinâmica. E já na década de 70 realizou o planejamento participativo, destinando os recursos do executivo de acordo com as necessidades apontadas pelo povo em reuniões com a própria comunidade. O então “filho do governador Tarcísio Maia” se transformava em uma das grandes promessas da política potiguar.

O governador

Moderno

O trabalho realizado no comando da prefeitura de Natal rendeu ao jovem engenheiro a credibilidade necessária para ser eleito governador do Rio Grande do Norte. Em 1982, venceu um dos ícones da política norte-rio-grandense, Aluízio Alves, na primeira eleição direta realizada depois do regime militar de 64. A visão de futuro com que atuou no executivo estadual proporcionou o desenvolvimento de grandes projetos e significativos avanços para o Rio Grande do Norte.

Projetos de Agripino no Executivo Estadual

O Projeto Crescer: ações voltadas para as áreas mais carentes das periferias urbanas criando equipamentos comunitários como centros sociais urbanos e creches para integrar a população, gerar oportunidades produtivas e melhorar a qualidade de vida do povo potiguar.

O Projeto Curral: recuperação da bacia leiteira do Rio Grande do Norte, dizimada pela seca. O governo fez chegar ao pequeno pecuarista mais de 20 mil matrizes, transformando pequenos pecuaristas em produtores de leite e queijo. O Projeto Terra Verde: estabeleceu o acesso do pequeno produtor às técnicas da agricultura irrigada, promovendo a capacitação profissional para valorizar o trabalho do homem do campo.

Industria do Turismo: abriu portas para o desenvolvimento da atividade turística com a Via Costeira, o Hotel Barreira Roxa e a Rota do Sol com intuito de firmar a indústria do turismo como a grande promessa da economia potiguar. Criou a rodovia Rota do Sol com acesso urbanizado às principais praias do litoral sul do estado, multiplicando oportunidades para a o turismo gerar mais emprego e renda.

Programa Balcão de Ferramentas: geração de mais de seis mil empregos em 56 municípios proporcionando ao cidadão a possibilidade de se tornar o seu próprio patrão, garantindo uma renda satisfatória e afastando o fantasma do desemprego.

Programa Pau Amarelo: viabilizou na casa de 150 mil famílias de baixa renda do Rio Grande do Norte a luz elétrica. O governo cobrava apenas um real e cinquenta centavos pela conta de energia, subsidiando o restante, cumprindo o dever social de garantir eletricidade a quem não podia pagar a conta toda.

executivo de

Vanguarda

No governo, teve participação decisiva no movimento que levou o país de volta à democracia. Em 1984, foi um dos primeiros chefes de executivo estadual a romper com o governo militar. Ajudou a fundar a chamada Frente Liberal, que apoiou o então governador de Minas Gerais, Tancredo Neves, à Presidência da República, em 1985.

O senador

No Senado da República, foi presidente da comissão mista que elaborou o Código de Defesa do Consumidor, da Comissão de Serviços de Infraestrutura e da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania – a mais importante da Casa. Sempre atuou por bandeiras empreendedoras como a diminuição da carga tributária, o enxugamento da máquina pública, incentivo ao setor produtivo, meritocracia, valorização dos municípios, .....

um líder

nato

Por unanimidade, assumiu em 2001 a liderança do partido Democratas (antigo PFL), sendo reconduzido ao cargo ininterruptamente. Durante dez anos consecutivos comandou uma das maiores bancadas de oposição do país com equilíbrio e postura responsável. Como líder de oposição Agripino apontou erros do Executivo Federal, indicou soluções, fiscalizou de maneira vigilante os gastos públicos, conduziu debates, articulou projetos, direcionou votações e desempenhou um papel fundamental no equilíbrio de forças dentro do Congresso Nacional. É um líder com inegável capacidade de articulação e postura conciliadora. É combativo, sem utilizar de agressões, é contundente, sem desrespeitar as opiniões divergentes.

na tribuna

do senado

No Congresso Nacional, Agripino tem uma atuação intensa marcada pela habilidade na convivência com os pares, pela postura combativa em defesa da democracia e contra as irregularidades no serviço público. Em plenário tem voz altiva para uma política de crescimento econômico que gere mais emprego ao cidadão brasileiro.

Amor ao

Rio grande do norte

Mesmo diante da posição de líder nacional, o olhar do parlamentar tem sempre o foco no seu estado. Quando os interesses do povo potiguar estão em jogo, ele deixa de lado as diferenças partidárias locais e faz questão de atuar na linha de frente para resolver os problemas que impedem o desenvolvimento do estado. Todos os municípios do Rio Grande do Norte já foram beneficiados pelo trabalho de José Agripino no Senado. Todas as cidades já receberam emendas do parlamentar, sem discriminação partidária. Com esse zelo pelo estado, conseguiu no exercício da atividade parlamentar em Brasília, fazer o Brasil olhar de maneira especial para o RN.

José Agripino Maia é Senador da República pelo Rio Grande do Norte e Presidente Nacional do Democratas. Casado com Anita Catalã, ele é pai de Alexandre e Felipe.

Casado com a historiadora Anita Catalão desde o dia 27 de dezembro de 1969. É pai do economista no mercado internacional Alexandre Maia e do advogado e deputado federal Felipe Maia.

A história de

José Agripino

José Agripino Maia nasceu no dia 23 de maio de 1945 na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte. É filho de Tarcísio de Vasconcelos Maia (ex-governador do RN) e Joseresa Tavares Maia. É irmão de Ana Silvia (empresária) e de Otto Maia (diplomata).

José Agripino cursou o primário (ensino fundamental) no Externato Dom Bosco (Mossoró), o Ginásio (ensino médio) no Colégio Santo Antônio Marista (Natal) e no Colégio Andrews (RJ). Graduado pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Estado da Guanabara (RJ), concluiu os estudos universitários em 1967, aos 22 anos. Pós-Graduado em Estabilização de Taludes pela Universidade do Estado da Guanabara, trabalhou na iniciativa privada como engenheiro e executivo.

O jovem

Prefeito

Em 1979, aos 34 anos, recebeu o primeiro desafio da carreira política, ser prefeito nomeado de Natal (RN). O início da carreira do jovem engenheiro foi marcado por uma gestão inovadora. José Agripino apostou no relacionamento com a população para estabelecer uma administração dinâmica. E já na década de 70 realizou o planejamento participativo, destinando os recursos do executivo de acordo com as necessidades apontadas pelo povo em reuniões com a própria comunidade. O então “filho do governador Tarcísio Maia” se transformava em uma das grandes promessas da política potiguar.

O governador

Moderno

O trabalho realizado no comando da prefeitura de Natal rendeu ao jovem engenheiro a credibilidade necessária para ser eleito governador do Rio Grande do Norte. Em 1982, venceu um dos ícones da política norte-rio-grandense, Aluízio Alves, na primeira eleição direta realizada depois do regime militar de 64. A visão de futuro com que atuou no executivo estadual proporcionou o desenvolvimento de grandes projetos e significativos avanços para o Rio Grande do Norte.

Projetos de Agripino no Executivo Estadual

O Projeto Crescer: ações voltadas para as áreas mais carentes das periferias urbanas criando equipamentos comunitários como centros sociais urbanos e creches para integrar a população, gerar oportunidades produtivas e melhorar a qualidade de vida do povo potiguar.

O Projeto Curral: recuperação da bacia leiteira do Rio Grande do Norte, dizimada pela seca. O governo fez chegar ao pequeno pecuarista mais de 20 mil matrizes, transformando pequenos pecuaristas em produtores de leite e queijo. O Projeto Terra Verde: estabeleceu o acesso do pequeno produtor às técnicas da agricultura irrigada, promovendo a capacitação profissional para valorizar o trabalho do homem do campo.

Industria do Turismo: abriu portas para o desenvolvimento da atividade turística com a Via Costeira, o Hotel Barreira Roxa e a Rota do Sol com intuito de firmar a indústria do turismo como a grande promessa da economia potiguar. Criou a rodovia Rota do Sol com acesso urbanizado às principais praias do litoral sul do estado, multiplicando oportunidades para a o turismo gerar mais emprego e renda.

Programa Balcão de Ferramentas: geração de mais de seis mil empregos em 56 municípios proporcionando ao cidadão a possibilidade de se tornar o seu próprio patrão, garantindo uma renda satisfatória e afastando o fantasma do desemprego.

Programa Pau Amarelo: viabilizou na casa de 150 mil famílias de baixa renda do Rio Grande do Norte a luz elétrica. O governo cobrava apenas um real e cinquenta centavos pela conta de energia, subsidiando o restante, cumprindo o dever social de garantir eletricidade a quem não podia pagar a conta toda.

executivo de

Vanguarda

No governo, teve participação decisiva no movimento que levou o país de volta à democracia. Em 1984, foi um dos primeiros chefes de executivo estadual a romper com o governo militar. Ajudou a fundar a chamada Frente Liberal, que apoiou o então governador de Minas Gerais, Tancredo Neves, à Presidência da República, em 1985.

O senador

No Senado da República, foi presidente da comissão mista que elaborou o Código de Defesa do Consumidor, da Comissão de Serviços de Infraestrutura e da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania – a mais importante da Casa. Sempre atuou por bandeiras empreendedoras como a diminuição da carga tributária, o enxugamento da máquina pública, incentivo ao setor produtivo, meritocracia, valorização dos municípios, .....

um líder

nato

Por unanimidade, assumiu em 2001 a liderança do partido Democratas (antigo PFL), sendo reconduzido ao cargo ininterruptamente. Durante dez anos consecutivos comandou uma das maiores bancadas de oposição do país com equilíbrio e postura responsável. Como líder de oposição Agripino apontou erros do Executivo Federal, indicou soluções, fiscalizou de maneira vigilante os gastos públicos, conduziu debates, articulou projetos, direcionou votações e desempenhou um papel fundamental no equilíbrio de forças dentro do Congresso Nacional. É um líder com inegável capacidade de articulação e postura conciliadora. É combativo, sem utilizar de agressões, é contundente, sem desrespeitar as opiniões divergentes.

na tribuna

do senado

No Congresso Nacional, Agripino tem uma atuação intensa marcada pela habilidade na convivência com os pares, pela postura combativa em defesa da democracia e contra as irregularidades no serviço público. Em plenário tem voz altiva para uma política de crescimento econômico que gere mais emprego ao cidadão brasileiro.

Amor ao

Rio grande do norte

Mesmo diante da posição de líder nacional, o olhar do parlamentar tem sempre o foco no seu estado. Quando os interesses do povo potiguar estão em jogo, ele deixa de lado as diferenças partidárias locais e faz questão de atuar na linha de frente para resolver os problemas que impedem o desenvolvimento do estado. Todos os municípios do Rio Grande do Norte já foram beneficiados pelo trabalho de José Agripino no Senado. Todas as cidades já receberam emendas do parlamentar, sem discriminação partidária. Com esse zelo pelo estado, conseguiu no exercício da atividade parlamentar em Brasília, fazer o Brasil olhar de maneira especial para o RN.