Na tribuna do Senado, Agripino revindica participação do RN nos leilões de energia eólica

Em discurso no início da tarde desta terça-feira (14), o presidente nacional do Democratas, José Agripino (RN), disse na tribuna do Senado que reunirá a bancada federal do Rio Grande do Norte para debater estratégias para que o estado participe do leilão de energia eólica no país.“Meu estado é um grande produtor de energia eólica … Continue lendo Na tribuna do Senado, Agripino revindica participação do RN nos leilões de energia eólica

Em discurso no início da tarde desta terça-feira (14), o presidente nacional do Democratas, José Agripino (RN), disse na tribuna do Senado que reunirá a bancada federal do Rio Grande do Norte para debater estratégias para que o estado participe do leilão de energia eólica no país.“Meu estado é um grande produtor de energia eólica e hoje de manhã fui surpreendido com a notícia de que, no leilão de oferta de novos lotes para instalação das torres geradoras de energia eólica, não está previsto nenhum lote no RN. Não por falta de matéria prima, de investidor, mas por falta de linha de transmissão”, frisou.

O senador potiguar criticou ainda a ausência de investimento na construção e ampliação das redes de transmissão de energia no RN.“O governo não tomou a precaução de fazer linhas novas para receber novas torres eólicas que gerassem energia barata para o consumidor brasileiro. Como parlamentar do meu estado, vou reunir a bancada federal para lutarmos contra essa injustiça. É preciso corrigir esse equivoco. Tem que haver uma previsão de construção e ampliação das redes de alta tensão para que o vento do Rio Grande do Norte produza energia eólica barata e competitiva”, destacou o parlamentar.

Durante o discurso, Agripino também defendeu a privatização da Eletrobras e disse que um dos benefícios da medida será garantir a produção contínua de energia elétrica e o barateamento da conta de luz para o consumidor. “A privatização da Eletrobras é conveniente ao interesse do país e do Rio Grande do Norte. Eu não tenho dúvidas de que a competitividade nesse setor contribuirá também para o barateamento das contas de luz do cidadão. Privatizada, a empresa poderá, inclusive, suprimir a tarifa vermelha, que tanto prejudica a sociedade”, concluiu o presidente do DEM.

Fotos: Mariana Di Pietro